Pare de Sofrer!
Inscreva-se no nosso curso sentimental gratis.


Nome
Email
Pare de sofrer no amor!
Inscreva-se no nosso curso sentimental grátis


Nome
Email

sábado, 28 de abril de 2012

Relacionamento entre casais de religiões diferentes

00:10 Publicado por Alan David Gomes Ribeiro , , 36 comentarios
Existem muitas duvidas sobre o relacionamento entre casais que são de diferentes religiões e espero poder esclarecer algumas coisas sobre isso nesta postagem. Tudo que será explicado neste artigo é para reflexão daqueles a quem interessar e desde já incentivo as pessoas a comentarem para dizerem o que acharam ou acrescentar algo ao tema para que possa ficar mais interessante. Tenho visto muitos casais por aí serem destruídos devido ao fato de não pertencerem a mesma denominação religiosa ou não apoiarem as mesmas idéias sobre Jesus Cristo. Infelizmente essa é uma realidade atual e precisa ser debatida para que este tema esclareça alguém que possa ter alguma duvida sobre o assunto. E principalmente informar os casais que passam por este problema ou até mesmo aqueles que são solteiros e estão conhecendo uma pessoa especial, mas que é de religião diferente.
Infelizmente o que tenho para falar sobre os casais que não partilham da mesma opinião religiosa não é lá muito animador, pois não vou entrar em rodeios e vou falar diretamente o seguinte: Casais de religiões diferentes estão fadados ao fracasso.

relacionamento entre casais de religiões diferentesSim, eu sei que esta afirmação é incômoda para todos aqueles que estão vivendo isto, mas a realidade é esta.

Aqueles que são das igrejas evangélicas já devem ter ouvido falar no “julgo desigual”, que significa que não é aconselhável o envolvimento sentimental entre duas pessoas de religiões diferentes. Eu particularmente ouvi esta expressão pela primeira vez por uma amiga que é da igreja adventista.

Isso acontece porque quando duas pessoas não compartilham da mesma crença sempre há discordâncias graves no relacionamento deles, pois não acreditam nas mesmas coisas.

A questão religiosa é muito forte na vida das pessoas que resolvem levar isto a sério e, se os parceiros não concordarem, muito provavelmente haverá discussões e confronto de idéias, o que fatalmente levará ao fim do relacionamento. Brigas conjugais por este motivo são comuns.

O julgo desigual é muito forte na cabeça das pessoas que crêem no relacionamento feliz com Deus e com seu parceiro, pois muitas vezes acontece que casais de religiões diferentes acabam brigando por um não aceitar a maneira do outro de crer em Deus.

Abaixo vou ilustrar alguns tipos de relacionamento que podem acontecer entre casais das mais diversas religiões.

União entre um católico e um protestante


Aqui o casal vai esbarrar principalmente na questão das tão faladas imagens de santos. Os católicos tem muitas imagens e santos e os evangélicos não possuem absolutamente nenhuma imagem, pois dizem que está escrito na bíblia que qualquer tipo de adoração a imagens é abominável aos olhos do Senhor. Então imagine agora um casal onde o marido, católico, resolve colocar uma imagem de Maria bem no meio da sala, mas a mulher acha que aquilo vai desagradar a Deus. Este casal provavelmente terá muitas brigas por conta disso. Além do mais, normalmente os evangélicos em geral não gostam de baladas, bebidas, cigarros ou qualquer outro tipo de produto ou atitude que pode desagradar a Deus, mas os católicos não vêem mal nisso e normalmente curtem muitas destas coisas. Um casal que tivesse estas contradições no relacionamento provavelmente não acabaria bem, já que haveria muitos erros no relacionamento.

União entre um protestante e um espírita


Aqui há uma grande contradição, visto que protestantes não acreditam em espíritos, pois a bíblia não da margem para acreditar que eles existem. No entanto a visão dos espíritas é completamente diferente sobre isso. Os espíritas acreditam que existem espíritos nos rondando e que estes podem nos ajudar quando precisamos. É um antagonismo muito grande entre essas duas concepções e será impossível que um casal diferente deste jeito possa dar certo. Ainda mais porque os protestantes acreditam que se um “espírito” de uma pessoa aparece para alguém, na verdade este alguém está sendo enganado e o que ele está vendo não é um espírito e sim um demônio. O que não aconteceria com um casal de crenças totalmente diferentes desse jeito? Este é um tipo de relacionamento que nunca dá certo.

União entre dois protestantes de denominações diferentes


Muitas pessoas talvez não concordem com o que vou dizer agora e talvez até me recriminem, mas a verdade é que, mesmo que duas pessoas sejam evangélicas, se forem de denominações diferentes, a probabilidade de dar errado é quase que 100 %.

Isso acontece porque, embora Deus seja só um, toda denominação prega os ensinamentos de Deus com sua própria particularidade. Não estou dizendo que exista uma única denominação correta, mas sim que amar a Deus implica em seguir algumas regras e, por a bíblia dar espaços para várias interpretações, as denominações interpretam elas de maneira diferentes.

Um casal de protestantes onde um dos parceiros é da Igreja Adventista, por exemplo, e outro é da Igreja Universal, provavelmente não dará certo, visto que embora as duas igrejas sejam muito semelhantes, cada uma tem sua própria doutrina e isso pode interferir no relacionamento do casal, visto que em muitos pontos irão discordar completamente.

Um exemplo disso seria a questão do sábado, pois os Adventistas o guardam e não fazem nada neste dia, mas os membros da Igreja Universal tem a tendência de guardar o domingo. Então muito provavelmente um dos dois ficaria muito chateado quando quisesse sair no sábado para algum lugar, mas o outro dissesse que não ia poder porque sua religião não permite.

Estes são exemplos superficiais que estou dando, pois na prática é muito mais intenso esse mar de diferenças religiosas que há entre um casal que não compartilha da mesma idéia sobre isso.

E não adianta alguém vir com a conversa de que um tem que saber respeitar o outro nas suas escolhas, pois na prática religiosa isso nunca vai acontecer dessa maneira, visto que religião é um assunto totalmente diferente dos outros, onde muitas pessoas até matam por em nome da sua.

A realidade é que se dois casais não estão sintonizados no mesmo canal religioso, muito provavelmente haverá discussão e este relacionamento logo chegará ao fim.

Como eu disse, os protestantes conhecem isso como “julgo desigual”, mas na Igreja Universal não tem exatamente este nome, pois lá costuma-se dizer apenas que os dois “não são da mesma fé”, o que significa a mesma coisa.

Em outras palavras: Não se meta em um relacionamento onde seu par não tem a “mesma fé” que você, ou seja, que não acredita nas mesmas coisas.

Um abraço a todos! Deixe seu comentário por favor. E clica em curtir aí no face!

Pare de sofrer no amor!





Nome
Email


Comentário(s)
36 Comentário(s)

36 comentários:

  1. Ótima postagem, parabéns pelo artigo! Gostei do que eu li aqui, estou procurando muito esse tipo de informação... Obrigado por compartilhar! Só achei que não foi feliz nessa colocação: "Um exemplo disso seria a questão do sábado, pois os Adventistas o guardam e não fazem nada neste dia..." Pelo pouquinho que sei, é no dia de sábado que os irmãos adventistas do 7° dia mais se ocupam, principalmente nos assuntos espirituais... Um pouco diferente da sua colocação, de que não fazem nada nesse dia! Mas eu entendi a mensagem principal! Estou vivenciando esse detalhe nesses mesmos exemplos citados! Mas acredito que dar tudo certo, mesmo sendo difícil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do post amigo, é verdade, realmente não fui feliz nesta colocação, percebo isso agora. Eu não quis dizer que os adventistas não fazem nada de nada (hehe), apenas quis dizer que eles se abstem do trabalho. Um grande abraço!

      Excluir
  2. Podem até existir casais que respeitam ou fingem respeitar a crença do seu parceiro, mas é naquela, quando se fala de religião o casal segue aquele dilema eu pra cá e ela pra lá, é como água e óleo que não se misturam cada.

    Protestante por exemplo sente horror em pisar em uma igreja católica, não dão nem o respeito de ouvir pelo e sem que conheça suas doutrinas sabem apenas criticar e a primeira coisa que querem fazer é converter um catolico, converter não sei o que pois tanto evangélica como católica por exemplo, ambas são cristocentrica.

    Eu por exemplo sou católico e casado com uma pessoa evangélica nos damos bem em muitas coisas, mas quando vamos falar de Deus o que deveria ser algo glorioso em uma família já no meu caso vira um desculpe a impressão um inverno, a discussão vem de avalanche, pois sempre vou a igreja evangélica para acompanhar e nunca consigo ir a minha igreja pois é arrumar briga e jamais teria a compania da minha esposa para eu ouvir a palavra de Deus através da religião que mais me simpatizo e concordo com os ensinamentos.

    Um conselho eu dou a quem vai se relacionar com pessoas de diferente crença, por mais que existam o amor entre vcs se preparem por que desentendimento certamente terão e muito principalmente quando tiverem os filhos e a forma como cada um querem batizar.

    Abraços e que a Paz de nosso senhor Jesus cristo estejam com todos!

    Genilson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Genilson...

      Você simplesmente confirmou tudo que falei acima... sempre haverá este problema no meio de casais que são de religões diferentes.. E este problema poderá até levar a separação do casal.. e, como você disse, o assunto pode fazer tudo se trasnformar num inferno..

      Dificilmente um evangélico vai concordar em ir numa igreja católica, pois a fé em imagens fere tudo que ele acredita...

      Já é mais fácil um católico ir numa igreja evangélica, afinal de contas, o que ele tem para dizer contra uma delas de modo que não se sinta a vontade em entrar em uma?

      São crenças e crenças.. e meu conselho sempre foi e sempre será..

      NÃO TENHA UM RELACIONAMENTO SÉRIO COM ALGUÉM QUE NÃO É DA MESMA RELIGIÃO..

      UM ABRAÇO!!!

      Excluir
  3. Infelizmente tenho vivido isso....Sempre soube que meu marido era da evangélico, porém, ele estava afastado, "desviado" como eles denominam. E eu sempre fui católica praticante, tanto que as vezes ele até me acompanhava à missa. Mas pouco antes de nos casarmos, ele foi acometido por uma grave doença, o que fez com que ele se voltasse com toda fé e força paara a Igreja dele. Não imaginava que ali seria o maior de todos os nossos conflitos. Com todas essas diferenças, nos casamos. E hj, 5 meses após o casamento, estamos nos separando. As diferenças são muitas e a intolerância por parte dele, da igreja dele, tem predominado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, Jesus só disse que a separação era aceitavel em caso de traição. Se este não é o caso, então lute pelo seu casamento. Chega para ele e fala isso, pois sendo ele evangélico, não vai querer ir contra as regras de Deus.

      Infelizmente vocês dois precisam muito de Deus, lute pelo seu casamento, não desista, se existe amor, ainda existe esperança.

      Talvez seja hora de você abrir mão da sua religião católica para ser feliz. Vá até o seu marido e diga que o apoia e quer ficar com ele. Você casou para durar pra sempre, então faça durar, pois todo o sacríficio vale apena se quiser viver um grande amor eterno.

      Pense nisso!!!!

      Excluir
  4. Alan, entendo o que vc disse, e te garanto que lutei com todos meus argumentos para que nos mantêssemos juntos. Mas daí eu me converter para uma outra religião com a qual não tenho a menor afinidade, convicção ou fé é um desrespeito comigo mesma. Vc realmente acha que eu seria feliz saindo da minha religião para manter um casamento no qual ele não apostou e não soube respeitar nossas diferenças? Onde fica a tolerância nesse caso? Onde fica o respeito e o amor dele por mim? Meu amor maior está em Cristo e depois no homem. Pense vc nisso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, tomei a liberdade de lhe fazer uma postagem completa na tentativa de lhe ajudar e responder este seu comentário. Você pode acessa-la aqui neste link: Conselho para você sobre religião e mudança no casamento.

      Obrigado por ler nosso blog.

      Excluir
  5. Estou passando por algo parecido, mas tenho em mim a convicção que possa dar certo, nem eu, nem ela somos praticantes apesar de eu defender o protestantismo e ela o catolicismo, como ela sabe que sou protestante neo-liberal ela evita de comentar qualquer coisa sobre sua religião, ela não faz uso de imagens e escuta muito meus pensamentos, como sou liberal, não me condeno por ir a uma festa ou eventos que o protestantismo condena, mesmo que eu faça isso com a convicção de saber entrar e sair dos lugares, até agora estou sendo feliz com essa pessoa e para mim ela é muito especial.

    ResponderExcluir
  6. Incrível né senhores e a doutrina de Jesus fica de fora que é " ame ao próximo como a si mesmo" As igrejas foram feitas pelo homem. A igreja de Jesus não prevê brigas. Enfim leiam apocalipse que tudo que está acontecendo agora está escrito lá mesmo, forte abraço.

    ResponderExcluir
  7. é,sou católico e ela é evangélica e vivo constantemente esse inferno no meu relacionamento,só sabe quem passa por um problema desses, são pessoas altamente recriminadoras, vivem apontando os defeitos dos outros e no meu caso enfrento sério problema com a família dela, pois não deixam viver-mos nossa vida e querem se meter direto sempre com aquela coisa, isso não é coisa de Deus, aquilo não é coisa de Deus, o que mais me irrita é se acharem santos, melhores do que os outros se sentirem no direito de julgar as pessoas realmente concordo com vocês é muito difícil um relacionamento assim dar certo, pois já vivo a quase cinco anos com minha mulher e isso cada vez mais está nos distanciando, tudo era uma maravilha até a família resolver voltar para a igreja e arrastarem ela ai pronto começou o inferno. sempre fui um homem que traia mais desde quando a conheci isso passou na minha vida , nunca a trai e sempre lutei pelo mau relacionamento tentando ser melhor homem do mundo, mais tenho vontade de sair com casais de amigos e não dá, sair para um barzinho com minha mulher para conversar beber alguma coisa, isso nem pensar fica complicado... acho sinceramente que estou para entrar no hall dos solteiros infelizmente, mais como sei de tudo que tenho feito para respeitá-la, chegou a um ponto que não dá, e agradeço demais a tudo isso pela família dela que estragou nosso relacionamento,agora com certeza vão ficar bem felizes já que defendem tanto a família e destruíram uma...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, quando você casou com ela, deveria ter visto os sinais de isso seria assim. É lógico que você nunca vai conseguir levar uma evangélica para beber. E nesse ponto, até concordo com a sua mulher: Beber só traz problemas e você mesmo deveria parar com isso. Alias, este motivo ai da bebida ela tem toda a razão.

      Quando aos julgamentos, infelizmente tem pessoas assim. Mas o que você queria? Foi ter um relacionamento com alguém de crença diferente, é isso que sempre acaba acontecendo.

      Mas meu conselho é que lute pelo seu casamento, pois se você gosta mesmo da sua mulher, então não a pressione.

      Tem coisas que não vão mudar nela, mas podem mudar em você.

      Ja tentou acompanhar ela na igreja que ela frequenta? Se a resposta for não, dê uma chance a si mesmo e ao seu casamento e vá.

      Obs: Tem coisas que não são mesmo de Deus e você mesmo sabe disso, só que não queres largar porque gosta. Não concorda?

      Lute pelo seu casamento meu amigo, pois abaixo de Deus é o bem mais valioso que você tem.

      Um abraço!

      Excluir
  8. Não gostei do trecho em que diz que os católicos veêm nenhum mal em beber e fumar. pois a igreja não apoia esse tipo de atitude, sendo que Deus nos deu o livre arbítrio para tomar nossas atitudes. a igreja trabalha para que possamos ter consciencia de que esses atos são não são do agrado de Deus e para que por meio dela sejamos impedidos de tal atitudes. Não é por meio de regras impostas pela religião que alguém será impedido de cometer tais atos e sim pela palavra de Deus, quando entra em sua mente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que posso dizer? Voce está certo amigo. Um abraço!

      Excluir
  9. "Em outras palavras: Não se meta em um relacionamento onde seu par não tem a “mesma fé” que você, ou seja, que não acredita nas mesmas coisas."

    Acho que isso depende do nível de tolerância permitida pela religião que a pessoa segue e a personalidade da própria pessoa.
    Eu sou ateu e minha companheira é católica. Nunca brigamos por nada relacionado à religião, embora tenhamos debates (normalmente saudáveis) a respeito do tema de vez em quando.
    Claro que nesse caso é uma situação um pouco diferente, não são duas religiões com posições antagônicas, e sim uma religião e uma falta dela. Mas é justamente o que estou querendo dizer, podem existir religiões que sejam diferentes, mas não necessariamente conflituosas com outras.

    ResponderExcluir
  10. CONCORDO PLENAMENTE EM TUDO OQUE VOCÊ DIZ AI ENCIMA PARABÉNS!
    APESAR DE ESTAR VIVENDO ISSO,SEI NO FUNDO QUE NÃO TEM COMO DAR CERTO... :/
    MAS QUERO TE LEMBRAR QUE O CERTO É "JUGO E NÃO "JULGO" DESIGUAL... ;) ABRAÇO.

    ResponderExcluir
  11. Estou conhecendo uma pessoa maravilhosa, somos compatíveis em quase tudo,menos na religião. Ele é do candomblé e eu não frequento nenhuma igreja, mas tenho crenças um pouco "evangelicas" acredito apenas em Deus e mais nada. Será que vou conseguir ser feliz nesse relacionamento? Sendo que,ele n era totalmente do candomblé,participava mais não havia entrado ainda. Pedi a ele que nao entrasse,pois sempre tive medo de isso nos abalar. Agora ele quer continuar fiel a religião, vai entrar de vez pro candomblé e eu não imaginei isso pra minha vida. Será que isso vai dar certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vai dar certo não. Se entrar em um relacionamento com este rapaz, prepare-se para SOFRER!

      Excluir
  12. Estou casada a 2 anos, Sou católica e meu esposo evangélico.
    Namoramos 06 anos ele sabia da minha religião e de que sou praticante assídua , neste tempo de namoro ele sempre afirmava que era evangélico mais não era praticante. Ele sempre me acompanhava na minha Igreja. Neste tempo que namoramos ele nunca foi a Igreja . Não por falta de apoio da minha parte, pois acredito muito em DEUS e que mesmo a minha religião como a dele temos a única finalidade crer em DEUS, apenas com credos e formas diferentes. Tanto que próximo a casamento incentivei e fomos conhecer algumas Igrejas da religião dele. Pois acredito que nenhuma pessoa pode viver sem a palavra de DEUS.
    Hoje infelizmente enfrentamos alguns conflitos de religião no nosso casamento, Pois consegui fazer ele sentir bem em uma Igreja de sua religião, porém para ele ir sempre tenho que ficar chamando, incentivando e sempre vou com ele. Mais quando peço uma única vez para me acompanhar na minha Igreja ele não aceita, Diz: que não se sente bem. Respeito isso, tanto que por respeito não tenho imagens na minha casa, dentro outras crenças que não utilizo por respeito.
    Só não concordo o porque de muitas vezes nos católicos temos que ceder e converter, não peço que ele se converta, apenas da mesma forma que respeito e vou na Igreja dele de coração aberto gostaria isso da parte dele. Portanto depende muito de ambas as partes com religiões diferentes deem certo para que possa viver em harmonia e preciso respeito e consideração pela pessoa que está ao seu lado. Afinal meu casamento foi constituído para a vida toda. Não e porque temos algumas diferenças em religião que vou me separar ou que você sabia disso quando namorava.
    Meu amor por DEUS e imenso e foi pela vontade de DEUS que conheci e casei com meu esposo;;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas sempre passarão por conflitos quando se relacionarem com alguém de religião diferente, e isso não vai mudar. O que posso te dizer é que, se você ama mesmo seu marido e ele não se sente bem indo na sua igreja, mas você aceita ir na dele, então a resolução dos seus problemas está nas suas mãos.

      Não insista mais pra ele ir na sua, simplesmente aceite que ele não gosta e não quer ir. E pra ajuda-lo ainda mais, vá sempre com ele na igreja dele. O seu casamento é mais importante que a religião que você frequenta, então, escute meu conselho: Passe a ser evangélica junto com seu marido.

      Tenho certeza que quase todos os problemas de você relacionados a isso vão se resolver.

      Mas é você quem decide: Ou a igreja ou seu casamento.

      Abraços e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  13. sou casada 10 meses, conhecir meu esposo católico, eu sempre fui católica sempre ia a missa junto.quando tava com 1 mês de casa conhecir uma vizinha adventista ,e pediu pra da um estudo bíblico na minha casa com meu esposo então aceitei,de um tempo pra cá fika falando q vai passar a ser evagelico eu não aceito de jeito nenhum,e com isso brigamos muito eu falei até em separação peço q mim ajude pq meu casamento vai acabar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, com todo respeito, mas é você quem está causando todo esse problema. O seu esposo só quer colocar Deus em primeiro lugar na vida dele. Se ele virá evangélico, siga-o. Afinal de contas, você é a mulher dele para estar em todos os momentos, bons ou ruins.. Na saúde e na doença, lembra?

      O que é mais importante: Sua religião ou seu casamento?

      Se você acha que é a religião, então lamento te dizer que inevitavelmente vocês vão se separar. Mas se o seu casamento é mais importante, não deixe que isso separe vocês.

      O casamento é feito de sacrifícios. Se você quer ser feliz, tem que sacrificar pelo seu esposo.

      E, se é você quem está procurando ajuda, então eu tenho certeza que você o ama e não quer o fim. Portanto, siga meu conselho e apoie seu marido nas decisões dele, mesmo que a sua vontade seja de fazer o contrário.

      Abraços!

      Excluir
  14. PASSO POR UM PROBLEMA COMO ESTE CONHECI MINHA ESPOSA A 15 ANOS ATRAZ ERA CATOLOICO NÃO PRATICANTE E ELA ERA EVANGELICA AFASTADA QUANDO NOS CASAMOS ELA VOLTOU PARA A IGREJA DELA E EU A ACOMPANHEI APOS 2 ANOS COMECEI A VER ALGUMAS COISAS NA IGREJA DELA QUE JÁ NÃO CONCORDAVA MEUS PAIS ERAM DE OUTRA DENOMINAÇÃO E ACABAMOS INDO POR UM TEMPO PEQUENO LÁ E ACABAMOS FORA DA IGREJA NOS DOIS PASSARAM-SE DEZ ANOS E LA VOLTOU PARA A IGREJA DELA E ALGUM TEMPO DEPOIS EU VOLTEI TAMBEM POREM DE OUTRO MINISTERIO E ISTO VIROU UM GRANDE PROBLEMA PQ OS ENSINAMENTOS SÃO BEM DIFERENTES E JA CAUSARAM MUITAS BRIGAS TENHO 2 FILHOS QUE ME ACAMPANHAM TEMOS UMA SOBRINHA QUE MORA CONOSCO QUE ACOMPANHA ELA ELA DEFENDE QUE ELA VOLTOU PRIMEIRO PORTANTO DEVO ACOMPANHA-LA E EU DEFENDO QUE A BIBLIA PEDE PARA A MULHER SE SUJEITAR A SEU MARIDO E NÃO AO CONTRARIO SABENDO QUE A FORMA QUE SE ENSINA NA IGREJA DELA É ALGO QUE TENHO DIFICULDADE DE ENTENDER EM UMA DE NOSSAS DISCUSSOES DISSE A ELA QUE DEVERIAMOS PROCURAR UM PASTOR PARA NOS ORIENTAR E FOMOS PROCURAR O PASTOR DELA QUE DISSE-NOS QUE NÃO PODERIA DIZER A ELA PARA ME ACOMPANHAR E NEM A MIM A ACOMPANHA-LA QUE DEVERIAMOS RESPEITAR UM AO OUTRO MAS ISTO É MUITO DIFICIL E LOGO DEPOIS DESTA CONVERSA COM O PASTOR DELA ELES RESOLVERAM DAR UM MINISTERIO DE OBREIRA NA IGREJA DELA O QUE ME DEIXOU MAIS TRISTE POIS O QUE TIROU ELA DE CASA TODOS OS DOMINGOS O DIA INTEIRO O UNICO DIA DA MINHA FOLGA MAIS CREIO QUE O SENHOR JULGARA MINHA CAUSA MAS ENQUANTO ISTO COMO DEVO PROCEDER

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, obrigado pelo seu comentário. Agora, vamos aos fatos:

      - O que o pastor falou para vocês é o correto. Não adianta um querer que o outro o acompanhe, vocês tem que se respeitar.

      Infelizmente ser de denominações diferentes atrapalha muito, mas Deus está vendo e ele já tem um plano para resolver este problema de vocês. O fato de você ter comentado aqui nessa página, já abriu espaço para você entender uma coisa: NÃO TENTE MAIS EM HIPÓTESE ALGUMA TIRA-LA DE ONDE ELAS ESTÁ.

      Fique calmo e confie em Deus que ele vai fazer a obra. Não estou dizendo que você está certo e nem que ela está certa. Embora a mulher realmente tenha que se submeter ao marido, como diz a palavra sagrada, mas antes do marido está DEUS.

      E creio que para sua mulher, se ela deixar a igreja dela, estará indo contra o que Deus quer pra ela. Talvez para ela abandonar a igreja que ela frequenta signifique abandonar o próprio Deus, e por isso não adianta você querer fazê-la mudar a força. Tenha paciência e ORE. Principalmente ORE.

      Deus é quem vai fazer a obra na vida de vocês. Deixa tudo nas mãos dele. De repente ele vai mudar o pensamento dela e trazê-la para sua igreja. Ou, quem sabe, e você não pode duvidar disso, que Deus pode mudar o seu pensamento e fazer você acompanha-la na igreja dela. Confia no Senhor que vai dar certo, mas não crie intrigas ou brigas por causa disso com a sua parceira.

      O segredo para uma convivência feliz é um respeitar o outro, então faça isso. Tenha bastante paciência e espero Deus resolver essa situação, pois o que Ele vai fazer é infinitamente melhor do que você ou ela podem fazer.

      Quanto aos domingos que ela fica na igreja e você gostaria de estar com ela, procure simplesmente entender, se preciso, acompanha ela. Ela está engregando o domingo dela pra Deus, então entregue o seu também. Se você fizer isso, aos poucos ela vai perceber o seu interesse em manter esse casamento feliz e a vida de vocês vai ser transformada e isso não vai mais abalar seu relacionamento.

      Posso ser sincero com você? Eu passo o domingo na igreja também, assim como ela, e sei exatamente como ela se sente com relação a isso. Eu não abandonaria isso por ninguém, e sei que ela também não abandonaria. Procure entender, pois quando entregamos nossa vida pra Deus de verdade, a última coisa que queremos é ficar longe dEle.

      Não deixe que esses empecilhos destruam seu relacionamento, sempre há uma maneira de fazer tudo ficar bem. Converse com ela tambem, pois sem DR nenhum casal vai pra frente.

      Espero que tudo se resolva na sua vida e que Deus abençoe o seu relacionamento! Vai dar tudo certo... VAI ARREBENTAR. ;)

      Excluir
  15. Desanimador seu artigo, mas não tem como dizer que é mentira. Sou católica e meu marido da congregação cristã do Brasil. Eu como católica tenho inúmeros argumentos para não ser "convertida", estudo as diversas religiões e a que mais me cativa continua sendo o catolicismo. Espera no artigo dicas de convivência, pois sim é real falar em religião na casa de casais de diferentes denominações é bem complicado. Peço todos os dias sabedoria a Deus para explicar quando sou acusada ou quando a minha fé é, sabedoria para não acusar a fé dele. O q vejo é q as pessoas querem defender algo q foi criado pelo homem e comparar, como se uma denominação única foi levar a Deus. Creio na diferença e na salvação individual, respeito e incentivo q ele vá na igreja dele, mas fico extremamente triste quando o q sai da boca dele parece querer dizer q apenas a denominação dele é perfeita e salva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, é realmente muito difícil o relacionamento entre casais de religiões diferentes. Pra começo de conversa, as pessoas não deveriam nem aceitar começar um relacionamento logo que percebem que a outra pessoa tem uma crença totalmente diferente da sua. Se o casal não anda junto em todos os sentidos, a relação não vai pra frente. Obrigado pelo comentário!

      Excluir
  16. E se eu namorar uma pessoa com ideologia politica diferente?

    Por que um casal nao respeita a crenca religiosa entre ambos? Por que nao ha tolerancia? Onde vou achar uma mulher ateia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ideologia política não faz parte de uma pessoa tão fortemente quanto religião. Em muitos casos, não se trata de não respeitar a crença do outro, mas sim de não concordar. Mas quando há uma discordância, infelizmente há um atrito.

      Quanto a sua última pergunta, eu não tenho como lhe responder.

      Excluir
  17. Bom, meu marido é testemunha de jeová e eu catolica praticante, quando nos conhecemos eu tinha acado de decidir não ir pro convento e ele estava "disassociado " , namoramos seis meses, e nos casamos mesmo com uma diferença bem grande de pensamento mas até ai apesar de algumas discursões por motivos religiosos viviamos bem, então decidi engravida mas tive que adiar por que estava fazendo um tratamento dentário, mas antes apesar de eu ser católuca decidi respeitar o meu marido e quando a criança nacesse não iriamos batizar na igreja católica, fui em algumas reuniões, congresso, assembléia com ele mas nada foi suficiente e agora ele quer se separar porque ele não vai aceitar ver um filho frequentando outra religião, q ele vai recomeçar a vida dele como T.J.e que eu também tenho que recomeçar a minha com uma pessoa da mesma religião que eu e que queira casar, frequentar e batizar na igreja católica. E eu o amo.demais e ele fala q ue me ama também e q por isso ele quer se separar. To destruida, falei pra ele que iria com ele, q não me "importaria" ter um filho T.J. infelizmente eu não sei o que fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pergunte para ele se ele acha que Deus destruiria uma família...
      Deus quer tanto você, como ele bem, e essa crença que ele tem de não aceitar o filho ser de outra religião é coisa do diabo. Ele sabe que é.

      Não permita que o seu casamento acabe, amiga, lute com todas as suas forças e peça auxílio em Deus.

      Diga para o seu marido que a coisa mais importante no mundo, depois de Deus, é a família. E que Deus não está nada satisfeito com o que ele está fazendo.

      Excluir
  18. Tenho uma filha especial e uns quatro meses pra cá minha mulher resolver frequentar a igreja evangélica mais o que mais me aborrecia e que ela quer ir todos os dias frequentar vigílias ir a encontros viver para igreja sou católico e por não permitir isso ela disse que preferia a DEUS e me abandonou pior é que não pensou nem na família que ela estava jogando pro ar estava acabando de arrumar nosso apartamento para irmos embora muito difícil como uma coisa que era pra unir famílias pode acabar ainda mais em nome de Deus que prega união familiar como evangélicos podem ser assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por isso que não dá certo relacionamento entre pessoas de religiões diferentes. O que ela fez não foi certo, mas isto não é culpa da igreja, seja ela qual for. Isso foi culpa da sua esposa, que passou a ser fanática de uma hora para outra. Se ela entender bem os princípios cristãos, vai ver que Deus ama a família e ele não a separaria de vocês. Agora, eu não sei bem ao certo o que aconteceu, mas se você a tiver intimado, do tipo "Ou eu ou a igreja", é lógico que ela não escolheria você, pois para ela, não é a Igreja e sim Deus quem ela estaria abandonando. Minha dica é que converse com ela, aceite ela na igreja, não tente tira-la de lá e simplesmente oriente-a e faça ela perceber que ela não pode colocar a obra de Deus na frente da família. Deus não ia querer isso.

      Use o seguinte argumento:

      - Existem 3 posições que o cristão tem que preservar. A PRIMEIRA é Deus, a SEGUNDA é a família e a TERCEIRA é a obra de Deus.

      Diga a ela que uma coisa é por Deus em primeiro lugar e outra coisa é por a OBRA de Deus em primeiro lugar. São coisas diferentes. Mostre a ela este comentário.

      Pois, se você é um bom marido, trata-a bem, quer o bem dela, não a trai, etc, então ela não tem porque te abandonar por causa de Deus. Pelo contrário, ela tem que lutar pelo casamento de vocês, para que tudo dê certo.

      Mas, se você é um péssimo marido e tentar ficar impedindo-a de ir à igreja, sinto muito, mas ela não vai voltar com você e, se voltar, vai te abandonar de novo.

      O seu comportamento e atitudes vão ser decisivos se você quiser ver sua família bem. Pense nisso!

      Att,

      Alan Ribeiro.

      Excluir
  19. Então, eu também tenho passado por problema. Ela é Espirita e eu sou Evangelico. Eu era ateu e depois dela muito tentar, Deus me tocou e fui levado a buscá-lo cade vez mais e hoje não vivo mais sem Glória de Deus. Então há mais ou menos 1 mes nós terminanos( Somos Namorados), e eu não sei mais até que ponto vale apena continuar com essa pessoa que eu tanto amo. Pórem algo que não vi aqui, talvez por desatenção, é que a bíblia diz que isso não pode existir. Se forem religião diferente o papel é de um orar pelo outro, por mais que as "colisões" irão acontecer. Vi que muitos criticam a forma do Evangelico de ser, mas o que atrapalha a todos é a religiosidade, e não o esta em Deus. Quando digo esta em Deus, quer dizer amá-lo a cima de todas coisas. Mas o que realmente acontece é que as brigas acabam sendo forte fator, para nos tirar daquelas pessoas que nós tanto amamos. Foi muito bom ver post, pois vejo que isso acontece com mais pessoas. Um conselho que eu dou é que quem está fazendo isso em nome de Jesus, ele te honrará, pois vai ele sabe o quão difícil foi largar a mão de tudo como era ela em minha vida, depois de Deus. Mas após dias sem rumo, Deus me cobriu de bençãos de uma forma que acalmou o meu coração. Então o que devemos fazer é ser como o centurião Romano, que alegrou o coração de Jesus. Fiquem todos com Deus, e eu profetizo em nome de Jesus, que há vocês que escolheram Deus, que encontrem alguem que possam sentir aquele essência tão boa do primeiro amor.

    ResponderExcluir

Cuidado com palavrões e ofensas de qualquer tipo discriminatório. Comente sempre e apareça no nosso TOP COMENTADORES.